DestaqueGestão

Cadeia de Valor – Antes, durante e depois de construir a cadeia de valor

Nenhum comentário

Cadeia de Valor – Onde está o valor?

Já desenhamos muitas…. mas onde está o valor? Conceitualmente, o cara da Cadeia de Valor é o Michel Porter. Em 1985 ele estruturou o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores e ciclos de produção e de venda até à fase da distribuição final. Começava então a visão organizacional para a entrega de valor. #SQN

Em 1777, outro velho conhecido teve a maior sacada de todos os tempos e merece ser citado para explicar o “#SQN” do parágrafo anterior.

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma” (Antoine Laurent Lavoisier)

A citação foi só pra entrar no clima!

Agora vamos raciocinar e voltar um pouco no tempo, mas não perca o foco da Cadeia de Valor.

  • 400 a.C. os egípcios já usavam funções da administração para planejar, criar estratégias e comandar batalhas;
  • os magos da Administração definiram quatro funções para a arte de administrar: Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar;
  • Taylor e Ford, em 1903, defendiam o uso do planejamento para execução de tarefas e introduziu o conceito de eficiência (produtividade+economia de recursos);
  • Fayol, em 1916, deu foco às funções administrativas, defendendo a unidade de comando e controle – hierarquia;
  • Mayo, em 1932 iniciou o pensamento com foco em pessoas, com conceitos como motivação, liderança e comunicação, que também foi abordado por Hezberg e Bradford em 1957.
  • Karl Marx, Max Weber e Levi-Straus, em 1947, institucionalizaram a análise intra e inter organizacional;
  • Em 1954, Peter Drucker, Koontz e outros começaram a pensar de forma mais pragmática. Surge então a ideia de que as organizações precisam de uma razão para existir, a Missão e mais, precisavam analisar o contexto ambiental
  • O ambiente e a tecnologia foram a abordagem de Chandler em 1972 e a competitividade, aprendizagem organizacional foram tratados por Adam Smith por volta de 1990.

 

“A CADEIA DE VALOR DESIGNA UMA SÉRIE DE ATIVIDADES RELACIONADAS E DESENVOLVIDAS PELA EMPRESA A FIM DE SATISFAZER AS NECESSIDADES DOS CLIENTES, DESDE AS RELAÇÕES COM OS FORNECEDORES E CICLOS DE PRODUÇÃO E VENDA ATÉ A FASE DA DISTRIBUIÇÃO PARA O CONSUMIDOR FINAL. CADA ELO DESSA CADEIA DE ATIVIDADES ESTÁ INTERLIGADO.” (Michael Porter)

 

Se conseguiu ler até aqui e quer continuar, mantém o raciocínio. Todo o contexto histórico tem relação direta com a Cadeia de Valor, certo? Óbvio! Porter, com toda sua sabedoria, juntou os elementos que eram necessários ao funcionamento de uma organização em um gráfico que permite a visão integrada com o objetivo de gerar resultados significativos, e a cereja do bolo…. gerar resultados significativos não somente à organização, mas, também aos clientes.

Agora voltemos à pergunta do subtítulo:

Onde está o valor?

Vamos adicionar um pouco de emoção! Você, com certeza, já construiu, desenhou, desdobrou, redesenhou uma Cadeia de Valor. Lembra das últimas? Onde estava o Valor? (pode pensar, antes de continuar)

… pensou?

Achou?

Se a resposta foi SIM, que massa. Pode parar de ler. Obrigada pela paciência e até mais! 😉

Agora se a resposta foi NÃO, que massa também! Assim não escrevi em vão e nem você está lendo sem que tudo isso te deixe pensativo, ao menos.

Temos construído diagramas de macroprocessos! Não uma Cadeia de Valor.

Desculpas, temos aos montes! Justificativas, também.

Mas precisamos ter consciência que não construímos Cadeias de Valor. Representamos os processos identificados em funções administrativas, que são cuidadosamente dispostos e encadeados para que todos (departamentos, cargos, direções e gestores) se “enxerguem”.

E isso, pessoas, não é uma Cadeia de Valor. O raciocínio ainda não se perdeu, né? Retoma aí comigo!

Cadeia de Valor = processos (deixa de lado agora a hierarquia de processos) estruturados para gerar ou criar VALOR.

logo,

Se você construiu um diagrama de processos, todos se enxergam, mas não entregam um resultado que confirma a missão e geram valor ao cliente, não acredite que fez uma Cadeia de Valor.

Então, agora com o raciocínio estruturado, vamos à lógica das coisas:

Leia também A importância da Cadeia de Valor 

Antes de construir a Cadeia de Valor:

  • Conheça, entenda e pesquise sobre a organização;
  • Leia, pergunte e pesquise sobre seus componentes estratégicos, estrutura organizacional, regimentos e legislações.

Durante a construção:

  • Identifique o(s) principal(is) cliente(s), aquele para o qual a missão foi definida;
  • Identifique o(s) valor(es) – sem cair na tentação de identificar os produtos, mas os resultados significativos que satisfazem o cliente.
  • Identifique a resposta para a pergunta: O que é preciso fazer para que o valor seja gerado?
  • Encadeie e agrupe as etapas de geração do valor em processos (conjunto de atividades, encadeadas, executadas de forma interdepartamental e que geram resultados, que somados, entregam o valor.);
  • Se for necessário, desdobre conforme a hierarquia de processos (macroprocessos, processos, subprocessos);
  • Classifique os processos – primários, gerenciais e de suporte;
  • Se possível, coloque no diagrama a Missão e a Visão de forma explicita.

Depois da construção:

  • Confira se o conjunto de processos resultam na entrega dos valores;
  • Confirme a coerência do encadeamento dos processos;
  • Por fim, faça uma avaliação lógica se tudo o que foi registrado representa a organização e se os valores refletem a missão

Por  Haylla Balzani

Confira nosso e-book sobre Cadeia de Valor – Final

Tags: , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

O Exercício dos Pequenos Poderes – Liderança com foco nas pessoas
Você está se acostumando de forma imperceptível

Artigos Relacionados

Destaque

Metaverso – O novo universo

Aparentemente o princípio da ação e reação, preconizado pela terceira lei de Newton, funciona tão bem para forças quanto para…
0
Menu