Segurança

Uma empresa que quer ser competitiva no mundo da transformação digital precisa adotar soluções de segurança de TI ainda na fase do projeto. Essa proteção garante a integridade das tecnologias de informação como sistemas de computadores, redes e dados contra ataques, danos e acessos não autorizados.

A segurança da TI protege a integridade das tecnologias de informação como sistemas de computadores, redes e dados contra ataques, danos e acessos não autorizados. Uma empresa que quer ser competitiva no mundo da transformação digital precisa adotar soluções de segurança ainda na fase do projeto.

É isso que significa a abordagem “shift security left”, uma alusão ao modelo de teste de software que é feito antecipadamente na indústria. Ou seja, a segurança deve fazer parte da infraestrutura e entrar no ciclo de vida das soluções o mais cedo possível. Dessa forma, a segurança pode ser proativa e reativa.

A segurança contínua é alimentada por um sistema rotineiro de feedback e adaptação, muitas vezes colocado em prática com o uso de pontos de verificação automáticos. A automação fornece feedbacks rápidos e eficazes, sem desacelerar o ciclo de vida das soluções.

Integrar a segurança dessa maneira também significa que é possível implementar atualizações e respostas de maneira rápida e holística, à medida que o panorama da segurança muda.

Por que a segurança da TI é importante para os negócios?

Tradicionalmente, o foco da segurança de TI era no fortalecimento, na manutenção e na fiscalização dentro do perímetro do datacenter. Mas hoje em dia, esses limites estão cada vez mais indefinidos. A maneira como desenvolvemos, implantamos, integramos e gerenciamos a TI está mudando significativamente.

Para que seja possível atender aos requisitos de conformidade regulatória e de segurança, a responsabilidade pelas nuvens públicas e híbridas está sendo redistribuída entre vários fornecedores. A adoção de containers em escala requer métodos novos para analisar, proteger e atualizar a entrega de aplicações.

As aplicações mobile estão espalhadas por vários dispositivos e, cada vez mais, a infraestrutura está migrando do hardware para o software. As maneiras tradicionais de gerenciar a segurança não conseguem acompanhar esse ritmo. A transformação digital demanda uma mudança nos programas de segurança que, agora no mundo digital, deve ser contínua, integrada e flexível.

Para algumas empresas, cuidar da segurança da maneira certa significa contratar um gerente de segurança de informações empresariais (BISO). Os BISOs são incorporados à empresa e se envolvem com o ciclo de vida das soluções, incluindo o design, a entrega e a adoção.

Eles são subordinados ao diretor de segurança da informação (CISO) para assegurar que as preocupações de segurança sejam cuidadosamente gerenciadas e integradas a cada fase. Assim, as necessidades de segurança são equilibradas com os riscos nos negócios para que a entrega rápida funcione conforme esperado.

O que é segurança de containers?

Os containers facilitam a criação, o empacotamento e a divulgação de uma aplicação ou serviço entre ambientes e destinos de implantação distintos. No entanto, há alguns desafios para incorporar a segurança nos containers.

Não é possível escalar as listas de verificação e políticas de segurança estáticas para os containers na empresa. A cadeia de fornecimento precisa de mais serviços relacionados à política de segurança. As equipes precisam equilibrar as necessidades de governança e de rede dos containers. Além disso, é necessário desacoplar serviços e ferramentas de compilação e do ambiente de execução.

Menu